Seguidores

sexta-feira, 4 de julho de 2014

QUEM NÃO TEM CÃO DEVE SER FELIZ COM GATO


Não... não há pensamento positivo, reza forte, macumba ou esperança que mude o rumo de certas coisas, e sei lá que mistério é este que domina o ponteiro da bússola que nos guia, e que mantém a situação nos mesmos trilhos de sempre, não importando as terras e os mares que movemos para transformar tudo a nosso favor.
Até eu, que tanto creio nos milagres, tenho que admitir: algumas coisas nem o milagre alcança, e a gente morre sem saber por quê.
Conheci uma moça que passou mais de dez anos lutando pelo amor de um amigo lindo, simpático, sexy e que adorava conviver com ela... mas era gay. Quando finalmente ela se apaixonou por um homem que pôde retribuir-lhe os sentimentos, ficou com raiva de si e do tal do amor impossível, pelo qual perdeu tanto tempo e chorou tantas lágrimas. Não sobrou nem amizade. Já aquela minha amiga de infância, que sonhava tanto ter um filho, e agarrada a este desejo recusou-se a tirar o útero para livrar-se de um câncer... morreu com sua esperança.
Algumas situações na vida parece que já começam amarradas e isso acontece com todo mundo, embora a frustração faça a gente se sentir sempre o pior dos piores, quando o fracasso é nosso... e a obstinação em mudar os fatos só piora ainda mais tudo isso. Nem mesmo quem é lindo, rico, famoso e cheio de súditos, como a Lady Di, ou cheio de fãs, como Maria Callas, ou talentosíssimo, como Airton Senna, estão livres dos limites que a vida tira da cartola.
Sabe, jamais gostei da palavra “fracasso”, e confesso que tenho até dificuldades para acreditar nela. Será que fracasso existe mesmo? Ou é só uma questão de ótica? Seria correto pensar que Lady Di, Callas ou Senna fracassaram? Até onde conseguiram ir, foram grandes vencedores. Mas talvez seu sucesso pessoal tivesse sido maior caso olhassem menos para o que não tinham... e valorizassem mais o que já haviam conquistado. Saber a hora de mudar de rumo pode fazer toda a diferença na vida da gente: sabe o ditado que diz "quem não tem cão caça com gato?".

Não teria muito mais sentido em aceitar, simplesmente, que nós não podemos ser tudo, nem podemos ter tudo, e que a gente só vai até onde consegue ir? E que a satisfação jamais será completa? E que é aí mesmo, nesta partezinha faltante, que está a semente do valor de todas as outras coisas que a gente conseguiu ser e ter?
Gosto do dito popular que diz que “Deus sempre abre uma janela quando fecha uma porta”. O que a gente precisa é parar de chorar por causa desta porta fechada, por onde não poderemos mesmo jamais passar... e ter olhos para enxergar a luz que entra pela janela e nos traz tantas outras imagens, bem ali na nossa frente... e que às vezes a gente passa a vida inteira sem ver.



(Fernanda Dannemann)
 
Fonte: Blog do Manoel Afonso

2 comentários:

  1. Oi minha amiga,
    Gostei de ler esse texto! Reflexão maravilhosa!
    Temos uma imensa dificuldade de perceber quando é preciso mudar a direção, quando está hora de dar um novo rumo à nossa vida em busca de algo melhor, que poderá fazer a diferença. Somos arquitetos da nossa própria estrada... e a decisão é nossa de mudar nosso foco e nosso futuro. Ainda há tempo de aprender a olhar, para poder ver a luz que está diante de cada janela.
    Beijos carinhosos e obrigada sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga..
      Que saudades,eu tb gostei e muitas vezes precisamos aprender, a lidar com as coisas que a vida nós impõe.
      Uma coisa eu digo:
      Nunca ficamos pior sempre crescemos e aprendemos a lidar melhor com as situações..
      Um carinho para o meu menino Thiago,muitas bênçãos,para vc com muita luz.. BJss
      Obrigada pelo lindo comentário..

      Excluir