Seguidores

sexta-feira, 29 de junho de 2012


PRESTANDO MAIS UMA HOMENAGEM AO AMIGO VINÍCIUS COELHO ATRAVÉS DAS DECLARAÇÕES CARINHOSAS DE SEUS PARCEIROS DE TRABALHO E AMIGOS TAMBÉM.



Carneiro Neto, colunista da Gazeta do Povo

“Meu parceiro em dois livros: Atletiba – Paixão das Multidões – de 1994 e Evangelino: o Campeoníssimo, de 2002. Eu conheço ele desde 1964, quando comecei na crônica esportiva. Ele veio desde 1956. Eu comecei a trabalhar com ele no Diário do Paraná em 1969 por indicação dele e assumi por indicação dele o lugar de editor quando ele foi para O Globo em 1969. Ele me prestigiou muito e me apoiou no começo da carreira. Depois, eu retribuí sempre o chamando para ser comentarista nas minhas equipes de rádio. Estávamos em conversa para fazer uma nova edição atualizada do Atletiba – Paixão de Multidões. Um grande companheiro, deixou uma marca muito forte no jornalismo esportivo. Em 1974, ele voltou p ara Curitiba, para a TV Paranaense (atual RPC) e era apresentador e narrador. Saiu de lá em 1984 para o retorno da Paraná Esportivo. Ele estava também na Gazeta do Povo. Eu estou na Gazeta do Povo desde 1984, quando ele me indicou para o substituir”.


Gil Rocha, gerente de Esportes da RPC TV 

“Ele sempre foi um grande nome do jornalismo paranaense e um grande líder. Eu tinha um carinho profissional muito grande, além de tudo era um grande amigo. Eu sempre viajei muito e vi o respeito e admiração que os jornalista s de outros estados têm por ele. Ele sempre representou o Paraná. Ele tinha um grande nome e poderia ter ficado na imprensa no Rio de Janeiro, mas preferiu voltar e ficar aqui no Paraná. Ele sempre foi um cara muito bacana, uma pessoa muito boa de se conviver. O momento mais marcante foi a cobertura da Copa do Mundo de 1986, porque era a minha primeira cobertura e ele já era experiente. Ele sempre muito atencioso ensinando todo mundo. Além de um colega, eu perdi um amigo.”


Edson Militão, colunista da Gazeta do Povo

“Eu posso dizer que o Vinícius colocava a paixão em tudo, principalmente no texto e na voz. Sempre foi atual e saudosista, ele tinha uma memória muito boa do passado e acompanhava como ninguém o universo do esporte. Perdemos um talento extraordinário, tanto de texto como depoimento. Eu lamento muito”.



Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coritiba

“Foi um acidente lamentável, estamos decretando luto oficial. Vamos fazer todas as homenagens a esse grande coxa-branca. Foi uma figura de destaque, importante em tudo o que o clube representa hoje”.


Aírton Cordeiro, colunista da Gazeta do Povo

Dono de um texto brilhante, assinou colunas e descreveu muitos jogos em linguagem tática e técnica. Em emissoras de rádio, foi comentarista dos mais ouvidos. Na televisão, foi narrador e apresentador, tendo o orgulho de transmitir a final do Campeonato Brasileiro de 1985. Não exagero ao dizer que o Vivi foi um dos meus mestres, passando-me conhecimentos e experiências que os anos de vida permitiram que buscássemos o melhor para os torcedores. Obrigado Vinícius Coelho. Leve com Você as alegrias da vida e o amor de reencontrar o filho Bruno. “Tiau.”


Luiz Augusto Xavier, colunista da Gazeta do Povo

“Foi um grande amigo, um dos meus professores no jornalismo esportivo. Vinícius Coelho tinha um texto admirável e, não de graça, foi um dos nomes mais importantes da imprensa paranaense. Pioneiro da televisão, transmitiu o título do Coritiba em 85 pela RPC (então TV Paranaense). Brilhou como repórter e redator de O Globo e sempre teve as portas abertas na CBF, onde fez muitos amigos, antes de voltar para o nosso convívio. Uma perda irreparável para todos nós, paranaenses”.


Guilherme Straube, pesquisador do Grupo Helênicos, especializado na história do Coritiba

“A primeira parte mais importante para mim, acima da importância profissional dele, era a amizade que a gente tinha. Semana passada, antes de desligar o telefone, ele disse para eu ligar mais vezes porque gostava muito de mim. Conhecia ele desde 2004, quando o Coritiba levantou o memorial das taças. Desde então houve uma grande sintonia entre nós, porque ele gostava de quem gostava da história do clube”.


Cristian Toledo, jornalista da Rádio 98FM

“Nós convivemos durante 10 anos juntos e ele sempre foi um cara muito gentil e educado. Ele chegou a um patamar muito alto no jornalismo brasileiro e, mesmo assim, nunca deixou de ser uma pessoa muito gentil, sempre ajudando todo mundo. Ele foi uma figura símbolo no jornalismo brasileiro, mas sempre teve uma relação muito forte com o estado. Além de tudo, de ter sido uma pessoa muito educada e atenciosa, ele foi um dos pioneiros em multimídia, muito antes de todo mundo”.



Segue a letra de um dos hinos do Coritiba, composto na década de 70 por Vinicius Coelho e Sebastião Lima.

Eterno Campeão
Cori, Cori, Cori
Cori, Cori, Cori
Coritiba
Coritiba, meu esquadrão
Sempre presente no meu coração
Vencer é o seu lema
Trabalhar é tradição
Salve, Salve, Coritiba
Eterno Campeão
Suas cores Verde e Branca
No m astro da vitória
Hão sempre de tremular
A uma voz vamos todos cantar
Vencer é o seu lema
Trabalhar é tradição
Salve, Salve, Coritiba
Eterno Campeão

QUE VOCÊ VINÍCIUS ESTEJA NA COMPANHIA DE DEUS E DE SEU AMADO FILHO BRUNO.


(Pesquisa das homenagens: Verônica Fukuda)


quinta-feira, 28 de junho de 2012

ESTAMOS DE LUTO POR UM AMIGO

Jornalista Vinícius Coelho será velado no Couto Pereira


O velório do jornalista Vinícius Coelho que morreu atropelado na tarde dessa quarta-feira (27), na BR-476, será hoje pela manhã no Estádio Major Antônio Couto Pereira, que fica no bairro Alto da Glória, em Curitiba de onde seguirá para ser sepultado no Cemitério Municipal de Curitiba, onde se encontra também o corpo de seu filho. O acidente aconteceu próximo ao Auto Shopping, trecho norte da Linha Verde. O motorista do veículo  Gol, envolvido no acidente, sofreu escoriações e foi levado ao Hospital Cajuru.


Coelho era um cronista esportivo e cultivava uma paixão pelo seu time Coritiba. O presidente do clube, Vilson Ribeiro de Andrade, decretou três dias de luto pela morte do jornalista.


Vinicius Coelho era jornalista e começou a trabalhar no Jornal Diário do Paraná. Foi para o Rio de Janeiro e trabalhou cinco anos no O Globo, Correio da Manhã e Última hora. Já foi presidente da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos, e presidente da secção da América da AIPS (Association Della Presse Sportive). Ele assistiu a nove copas do mundo e duas olimpíadas. É também autor de três livros: Atletiba, Campeonísssimo e a biografia de Aryon Cornelsen. Apaixonado pelo Coritiba, o jornalista escreveu o primeiro hino do clube e narrou para a televisão o título nacional de 1985.


Depressão 


Coelho era pai do jovem Bruno Strobel Coelho, que foi encontrado morto com dois tiros na cabeça e marcas de espancamento, num terreno próximo a Rodovia dos Minérios, em Almirante Tamandaré. Segundo as investigações, o jovem Strobel foi flagrado por funcionários da empresa de vigilância Centronic pichando o muro de uma clínica no Alto da Glória, em Curitiba.


Segundo o advogado que representava Coelho, Rafael Fabrício Mello, desde que o filho morreu, o jornalista vivia diariamente em uma luta por fazer justiça por ele. "Coelho passou a sofrer de um quadro depressivo depois da perda. Agora vamos dar todo o apoio a família e vamos investigar quais as reais causas do acidente", comentou.


(Paraná On-line - Portal Banda B)

terça-feira, 26 de junho de 2012

AMIGOS SÃO ESTRADAS


Certos amigos são indispensáveis, simples como aquela estradinha de terra no interior, onde do alto da colina podemos avistá-la inteirinha, sabemos onde podemos ir e onde podemos chegar, são transparentes e confiáveis.


Outros, acabaram de chegar, como estradas que só conhecemos pelo guia, e vamos nos aventurando sem saber muito bem seus limites, é um caminho desconhecido, mas que sempre vale a pena trilhar.


Tem amigos que lembram aquelas estradas vicinais, que pouco usamos, pouco vemos, mas sabemos que quando precisarmos, ela estará lá, poderemos passar e cortar caminho, mesmo distante, estão sempre em nossa memória.


Por certo, também existem amigos que infelizmente, lembram aquelas estradas maravilhosas, com pistas largas e asfalto sempre novo, mas que enganam o motorista, pois são cheias de curvas perigosas, e quando você menos espera... é traído pela confiança excessiva.


E existem amigos que são como aquelas estradas que desapareceram, não existem mais, mas que sempre ligam a nossa emoção até a saudade, saudade de uma paisagem, um pedaço daquela estrada, que deixou marcas profundas em nosso coração.


Foram, mas ficaram impregnados em nossa alma. E na viagem da vida, que pode ser longa ou curta amigos são mais do que estradas, são placas que indicam a direção, e naqueles momentos em que mais precisamos, por vezes são o nosso próprio chão.


(Texto de:  Ciro Röpke)

quarta-feira, 20 de junho de 2012


LIDANDO COM O LUTO - MAIS UM TEXTO PARA AUXÍLIO AOS QUE AQUI CHEGAM  PELA PRIMEIRA VEZ


"Elaborar o luto é viver os sentimentos tais como eles são."

“A morte como perda nos fala, em primeiro lugar, de um vínculo que se rompe de forma irreversível, sobretudo quando ocorre perda real e concreta. Nesta representação de morte estão envolvidas duas pessoas: uma que é ‘perdida’ e a outra que lamenta esta falta, um pedaço de si que se foi. O outro é em parte internalizado nas memórias e lembranças. A morte como perda evoca sentimentos fortes, pode ser então chamada de ‘morte sentimento’ e é vivida por todos nós. É impossível um ser humano que nunca tenha vivido uma perda. Ela é vivida conscientemente, por isso é, muitas vezes, mais temida do que a própria morte. Como esta última não pode ser vivida concretamente, a única morte é a perda, quer concreta, quer simbólica” (KOVACS, 1992).

É interessante avaliar o medo da morte como algo cultural, construído na forma como fomos criados, pois tocamos naquilo que é desconhecido, que um dia viveremos, mas não sabemos quando nem como. Falo de tudo isto, pois saber lidar com a morte é, na verdade, saber lidar com perdas diárias, mesmo que pequenas. 

Estes sentimentos são similares, porque se perde o envolvimento afetivo e todas as conquistas que podem ser obtidas por meio daquele vínculo que se perdeu, como, por exemplo, o carinho, uma posição de destaque, o reconhecimento, a proximidade, a troca e tantos outros sentimentos e situações que deixam de ocorrer com a perda.

Elaborar o luto é viver os sentimentos tais como eles são: com choro, com reservas, com necessidade de falar; lidar com a raiva, o desapontamento e todas as formas com as quais a pessoa consiga manifestar, a seu tempo, tudo aquilo que sente. Pessoas de confiança e proximidade são muito importantes neste tempo, mas devem deixar que a pessoa também se manifeste. Frases como: “não chore, não seja fraco, ele não gostaria de te ver chorando” nem sempre ajudam, uma vez que a forma de manifestar a dor, em cada um de nós, é diferente. Como percebemos, viver o luto é um processo que, passo a passo, vai sendo superado. Em datas comemorativas – aniversário, Natal, Dia dos Pais, dentre outras, a pessoa será lembrada e os sentimentos em cada fase serão os mais variados. Apenas quando os sintomas negativos forem persistentes e duradouros demais, podemos pensar que a superação desta perda e suas etapas não foram bem vividas, tanto no mundo externo quanto interno da pessoa.

Se esses sintomas forem fortemente repetitivos, quando se aproximam essas datas este é um forte sinal de que a pessoa não está vivendo corretamente as etapas necessárias para a sua superação, tanto em seu mundo externo, quanto, principalmente, em seu mundo interno.

Em tudo, lembramos ainda que o conforto espiritual é muito importante e até mesmo diferencial em todas as situações que vivemos, especialmente no luto, pois a fé também é o alimento que nos sustenta nesta caminhada sem aquela pessoa que tanto amamos e de quem tanto sentimos falta. Sentir e vivenciar este processo doloroso é essencial para este momento de superação, ou seja, lembrar o que foi bom, perdoar as mágoas, não se culpar por aquilo que eventualmente não tenha feito pela pessoa que se foi e acima de tudo, viver esta dor partilhando com alguém, sem medo de chorar e colocar para fora o que sente e, desta forma, podendo superar esta etapa de vida.

Elaine Ribeiro, Psicóloga Clínica e Organizacional, colaboradora da Comunidade Canção Nova.- 02/11/2011

sábado, 16 de junho de 2012


Apenas um passo

Não importa há quanto tempo você esteja andando para o Norte - com apenas um passo você é capaz de andar para o Sul. 

O que é preciso para dar uma volta de 180º na sua vida? 

Apenas um passo. 

Você está a apenas um passo de uma dieta mais equilibrada, a um passo de melhorar suas finanças pessoais, a um passo de ser um profissional muito melhor, a um passo de ter um relacionamento mais gratificante. 

 Daqui a um minuto, seus piores problemas podem estar todos atrás de você, ao invés de estarem na sua frente. 

Com apenas um passo, o melhor dia da sua vida pode ainda estar por vir, e não estar perdido em algum lugar do passado distante. 

Num instante, todas as energias negativas na sua vida podem ser redirecionadas para alguma coisa positiva. 

Apenas um passo é necessário para romper essa inércia, e dar à sua vida o rumo que você realmente gostaria que ela tivesse.


http://www.mensagenscomamor.com/mensagens_de_otimismo.htm

terça-feira, 12 de junho de 2012

PARA REFLETIR E MUDAR


Durante um seminário para casais, perguntaram a uma das esposas:

- "Seu marido lhe faz feliz? Ele lhe faz feliz de verdade?"


Neste momento, o marido levantou seu pescoço, demonstrando total segurança.

Ele sabia que a sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia reclamado de algo durante o casamento. Todavia, sua esposa respondeu a pergunta com um sonoro "NÃO", daqueles bem redondos!

- "Não, o meu marido não me faz feliz"! (Neste momento o marido já procurava a porta de saída mais próxima).


- "Meu marido nunca me fez feliz e não me faz feliz! Eu sou feliz". E continuou:


"O fato de eu ser feliz ou não, não depende dele; e sim de mim. Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade. Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida, pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância sobre a face da Terra, eu estaria com sérios problemas.


Tudo o que existe nesta vida muda constantemente: o ser humano, as riquezas, o meu corpo, o clima, o meu chefe, os prazeres, os amigos, minha saúde física e mental. E assim eu poderia citar uma lista interminável.


Eu decido ser feliz! Se tenho hoje minha casa vazia ou cheia: sou feliz! Se vou sair acompanhada ou sozinha: sou feliz! Se meu emprego é bem remunerado ou não: eu sou feliz! Sou casada mas era feliz quando estava solteira. Eu sou feliz por mim mesma.


As demais coisas, pessoas, momentos ou situações eu chamo de "experiências que podem ou não me proporcionar momentos de alegria e tristeza”. Quando alguém que eu amo morre, eu sou uma pessoa feliz num momento inevitável de tristeza. Aprendo com as experiências passageiras e vivo as que são eternas como amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar, consolar.


Há pessoas que dizem: hoje não posso ser feliz porque estou doente, porque não tenho dinheiro, porque faz muito calor, porque alguém me insultou, porque alguém deixou de me amar, porque eu não soube me dar valor, porque meu marido não é como eu esperava, porque meus filhos não me fazem felizes, porque meus amigos não me fazem felizes, porque meu emprego é medíocre e por aí vai.


Amo a vida que tenho mas não porque minha vida é mais fácil do que a dos outros. É porque eu decidi ser feliz como indivíduo e me responsabilizo por minha felicidade. Quando eu tiro essa obrigação do meu marido e de qualquer outra pessoa, deixo-os livres do peso de me carregar nos ombros. A vida de todos fica muito mais leve. E é dessa forma que consegui um casamento bem sucedido ao longo de tantos anos.


Nunca deixe nas mãos de ninguém uma responsabilidade tão grande quanto a de assumir e promover sua felicidade!


SEJA FELIZ, mesmo que faça calor, mesmo que esteja doente, mesmo que não tenha dinheiro, mesmo que alguém tenha lhe machucado, mesmo que alguém não lhe ame ou não lhe dê o devido valor.


Peça apenas ao Universo/Deus/Espírito Maior que lhe dê serenidade para aceitar as coisas que você não pode mudar, coragem para modificar aquelas que podem ser mudadas e sabedoria para conseguir reconhecer a diferença que existe entre elas.


NÃO REFLITA, APENAS.


MUDE! E SEJA FELIZ!


(Extraído do Caderno de Mensagens.net)

sábado, 9 de junho de 2012





Desiderata 



(Do Latim desideratu: aquilo que se deseja, aspiração) 
Vá placidamente por entre o barulho e a pressa e lembre-se da paz que pode haver no silêncio. Tanto quanto possível, sem capitular, esteja de bem com todas as pessoas. Fale a sua verdade calma e claramente; e escute os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes; também eles têm sua história. Evite pessoas barulhentas e agressivas. Elas são tormento para o espírito. Se você se comparar a outros, pode tornar-se vaidoso e amargo; porque sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você. 

Desfrute suas conquistas assim como seus planos. Mantenha-se interessado em sua própria carreira, mesmo que humilde; é o que realmente se possui na sorte incerta dos tempos. Exercite a cautela nos negócios; porque o mundo é cheio de artifícios. Mas não deixe que isso o torne cego à virtude que existe; muitas pessoas lutam por altos ideais; e por toda parte a vida é cheia de heroísmo. 

Seja você mesmo. Principalmente não finja afeição, nem seja cínico sobre o amor; porque em face de toda aridez e desencantamento ele é perene como a grama. Aceite gentilmente o conselho dos anos, renunciando com benevolência às coisas da juventude. Cultive a força do espírito para proteger-se num infortúnio inesperado. Mas não se desgaste com temores imaginários. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão. 

Acima de uma benéfica disciplina, seja bondoso consigo mesmo. Você é filho do Universo, não menos que as árvores e as estrelas. Você tem o direito de estar aqui. E, quer seja claro ou não para você, sem dúvida o Universo se desenrola como deveria. Portanto, esteja em paz com Deus, qualquer que seja sua forma de concebê-lo e seja qual for a sua lida e suas aspirações, na barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com a sua alma.Com todos os enganos, penas e sonhos desfeitos, este é ainda um mundo maravilhoso. Esteja atento. Empenhe-se em ser feliz. 



Há uma versão de que Desiderata, este conhecido e singelo texto, escrito em inglês e hoje traduzido para mais de 60 idiomas, foi encontrado na Igreja de Saint Paul, Baltimore, em 1692, e jamais se soube do seu misterioso autor.

Na verdade, Desiderata, aspirações em latim, é de autoria do escritor norte americano Max Ehrmann, nascido em Terre Haute, Indiana, EUA, em 26 de setembro de 1872 e falecido na mesma cidade em 9 de setembro de 1945.
 
Ehrmann formou-se em direito pela DePauw University e estudou direito e filosofia em Harvard por dois anos, quando se tornou promotor público.

Aos quarenta anos decidiu dedicar-se exclusivamente à escrita e, em 1927, escreveu Desiderata, sem dúvida o seu mais conhecido texto.
 
Em 1956 o pároco da igreja de St. Paul, em Baltimore, reproduziu o texto em um panfleto mimeografado para os seus fiéis.
 
Posteriormente, alguém que o retransmitiu não incluiu os créditos originais e, equivocadamente, citou o texto como tendo sido "achado na Igreja de Saint Paul em Baltimore, datado de 1692".
 

quarta-feira, 6 de junho de 2012


COMO O CARVALHO... 

Todas as vezes que nos deparamos com problemas em nossa vida, observamos o quanto somos frágeis. As alegrias se vão e só a verdade de que somos impotentes para lidar com adversidades que surgem no decorrer de nossa existência.
Deus nos deixa lições interessantes em sua criação para nos mostrar o contrário. Que o homem foi criado forte e que essa força é sempre adquirida e absorvida dessas situações adversas.
Você conhece uma árvore chamada de CARVALHO?
Pois é, essa árvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente. Quando querem saber o índice de temporais e tempestades ocorrente numa determinada floresta eles observam logo o carvalho (existindo no local, é claro) que naturalmente é a árvore que mais absorve as consequências de tempestades e temporais. Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica. Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo.
Mas não pense que os cientistas precisam fazer estas análises todas para saber isso. Basta apenas eles olharem para o carvalho. Devido a absorver as consequências das tempestades a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força, muitas vezes uma aparência TRISTE.
Cada tempestade para um carvalho é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça.
Numa grande tempestade muitas árvores são arrancadas, mas o carvalho permanece firme.
Assim somos nós. Devemos tirar proveito das situações contrárias à nossa vida e ficarmos mais fortes. Um pouco marcados, muitas vezes com a aparência abatida, mas fortes. Com raízes bem firmes e profundas na terra.
Podemos com isso compreender o que nosso PAI maravilhoso quis nos ensinar quando disse:
- Podemos todas as coisas naquele que nos fortalece. E também no Salmo 23 a confiança do rei Davi quando cantou: - Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte eu não temerei mal algum, porque Tu estás comigo...
Por isso quando olhares pela janela o lindo alvorecer, lembre-se que não há temor com os infortúnios do dia, porque DEUS está contigo. Ele te protegerá.
Se você está passando por lutas muito grandes por estes dias, mas como o carvalho é só mais uma tempestade que LHE tornará mais forte segundo aquele que nos arregimentou.
QUE DEUS ESTEJA CONVOSCO.

(Autor Desconhecido)

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Aline e os ASDL

Foi com imenso carinho e muita alegria que recebemos uma visita muito especial de Teresópolis RJ,
a mãezinha do Marcelo, a Aline do blog Amor e Saudade.
Foi uma tarde muito agradável em que compartilhamos experiências e muitas demonstrações de afeto.
O querido Brilho, é dessa forma que Aline se refere ao amado filho, foi o único responsável por esse lindo encontro, um momento que ficará gravado para sempre em nossos corações.


ASDL com Aline e família

ASDL com Aline e família

Lídia, Sueli, Zelinda e Aline
Aline e Zelinda
Aline e Zelinda