Seguidores

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

19 ANOS DE FUNDAÇÃO DO GRUPO "AMIGOS SOLIDÁRIOS NA DOR DO LUTO”


O Grupo dos Amigos Solidários na Dor do Luto surgiu no dia 06 de outubro de 1998. Iniciou-se com Rosana Figurelli (natural da Escócia) que perdeu seu filho Carlos, na época com 18 anos. Precisando de apoio foi à procura de trabalho voluntário especializado no luto, pois, sabia que no exterior já existia.
Percebendo que não havia nada parecido em Curitiba decidiu fundar o grupo em memória de seu filho e dedicado à Nossa Senhora das Dores a quem é devota.
Em meados de 1999 Zelinda de Bona juntamente com uma amiga que também havia perdido um filho e tinham interesse em conhecer o grupo formado por Rosana na Paróquia Bom Jesus dos Perdões, localizada na Praça Rui Barbosa em Curitiba, foram até lá.
Como Zelinda havia perdido um neto em 1994 de nome Saulo Malucelli com 14 anos vitimado por um acidente, ela achou que através desse grupo poderia aprender e dar suporte para sua filha Karin e seu genro Narciso que tanto sofriam. E aprender a lidar com tamanha dor que estavam vivenciando em família. Zelinda, no entanto, conseguiu superar o luto do seu neto sozinha alicerçada na fé e nas experiências de vida que tinha.
Em 2001 assumiu o grupo como coordenadora, pois Rosana como era de nacionalidade escocesa tinha uma certa dificuldade em se expressar em português para as pessoas que ao grupo chegava. Desde então, Zelinda tem recebido a todos com muito carinho e palavras de afeto.
Hoje é um grupo ecumênico que atende a todas as religiões e classes sociais.
É oferecido o apoio gratuito para quem esteja passando pela triste experiência do falecimento de um ente querido.
Nas reuniões realizadas todas as segundas-feiras, 14:30 horas na UFPR – Praça Santos Andrade – 1º andar – sala 118 – setor de psicologia abre-se espaço para ouvir, desabafar e trocar experiências vividas no luto com muita atenção e carinho a quem lá se achega. Tentando dar um consolo ao sofrimento das pessoas que perderam um parente ou amigo.
Nos dias de hoje conta com a colaboração da UFPR através das professoras Maria Virginia Filomena Cremasco e Joanneliese de L. Freitas e com um grupo de estudantes de psicologia que estão se especializando na área do luto. Não há palestras, procura-se criar um ambiente informal e acolhedor, onde todos sintam-se à vontade e possam externar e compartilhar seus sentimentos. Pois, a dor compartilhada é dor amenizada.


Um comentário:

  1. Obrigada Liane, por ter feito essa postagem do aniversário do grupo que é hoje dia 06 de outubro, 19 anos de ajuda mutua, colhimento, receber essas pessoas para que possam falar abrir seu coração, e tentar restaurar a vida pelos que ficaram e precisam de pessoas mesmo com a dor a flor da pela, eles não são culpados de nada, a vida ou o destino, que foi traçado, infelizmente, não temos esse poder de adiar ou retardar e nem deixar que aconteça.
    Nesta vida não somos donos de nada somos simplesmente cuidadores das coisas de Deus..
    Ele na sua infinita sabedoria tem o poder de da a vida, como tb pode retirar o momento que ele achar conveniente..
    Nos seres humanos nunca vamos entender e sim ,seguir em frente esperando o nosso reencontro com aqueles que nós tanto amamos e continuam vivos em nossos cotações.
    Agradeço a DEUS, por esse grupo de acolhida, pela fundadora Rossana, pelas companheiras que não se cansam de ajudar e acolher, todos que chegam, e ter pessoas, que tem a humildade e a sabedoria de estar ajudando, o grupo, não tem dono todos somos iguais, tem sim... uma pessoa responsável que responde pelos assuntos do grupo.
    sozinha quase nada pode ser feito, com a ajuda ,compressão e muito amor a caminhada é segura,leve, e chegaremos aonde chegamos, com muito respeito e gratidão.
    Agradeço as nossas mestres, Virginia e Joanelise,em psicologia que nos dão o suporte que tanto precisamos aos nossos pupilos e pupilas que estão todas as semanas acompanhando e aprendendo a trabalhar com o grupo, meu muito obrigada.. Com todo o meu carinho, o grupo não seria o mesmo se vcs não estivessem ao meu lado
    ...

    ResponderExcluir