Seguidores

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O SENTIMENTO DE LUTO. "DEPRESSÃO É O ÓDIO À PERDA".

Perdas.
 O luto é uma reação normal, fisiológica, psicológica, com começo, meio e fim. Quando perdemos alguém que se ama, passamos por um estado de muita dor psíquica: revolta natural, raiva, ódio e dizemos: porque fizeram isto conosco, porque Deus tirou a vida da pessoa, enfim, interpretamos a perda como um fato contra nós.
Essa atitude é de negação, de recusa a não reconhecer que a morte se impõe como realidade, não é contra ninguém. Do mesmo modo reagimos com indignação quando vemos que alguns dos nossos desejos, projetos, sonhos, não se realizam. Viver nossos lutos é ter humildade para perder, para sobreviver essa dolorosa experiência: daí o luto ter um tempo adequado para nos refazermos do trauma. Como isso pode ser possível?
Chorando, entristecendo e lembrando das situações boas que passamos com a pessoa que se foi, assim como nos acostumando que uma saída para fazer o luto é ter a pessoa dentro de nós. Só se consegue atravessar o luto aquele que pode carregar em seu interior, dentro de si, a pessoa amada e ter saudade dela. A saudade é uma palavra que só existe na língua portuguesa, é um sentimento triste mas integrado para se preencher a falta de alguém ou de alguma coisa. É na saudade que lembramos, que recordamos o bom que alguém nos foi, e paulatinamente vamos retendo na memória a imagem de uma pessoa viva. Aquele que perdemos se mantém vivo dentro de nós, caso o amor tenha predominado nessa relação. Com isso, quero frisar que podemos atravessar essa turbulência sem transformar o luto em depressão ou melancolia.
A depressão é o ódio à perda. A depressão é a impossibilidade de saber perder, ainda que isso seja doloroso. Existem pessoas que se revoltam, que não admitem a falta, que reagem com furor e raiva. E desenvolvem uma atitude de recusa à realidade. Perdem o sentido de viver, não encontram mais força para refazerem sua vida e terminam por pautarem sua existência com queixas, lamentos, revolta e um sentimento de apatia permanente – estamos diante de uma depressão grave ou melancolia. Necessitam de uma psicoterapia e não muito infrequentemente, de um tratamento com antidepressivo. Em resumo: depressão é realmente ódio à perda.


Lya Luft, poetisa, contista e romancista, em seu belo livro "Para não dizer adeus", Editora Record, Rio de Janeiro, nos brinda com esse profundo poema:


"Perder, Ganhar
Com as perdas, só há um jeito:
Perdê-las.
Com os ganhos,
O proveito é saborear cada um
Como uma fruta de boa estação.


A vida, como um pensamento,
Corre à frente dos relógios.
O ritmo das águas indica o roteiro
E me oferece um papel:
Abrir o coração como uma vela
Ao vento, ou pagar sempre a conta
Já vencida.”


(Texto de: Carlos A.Vieira) Médico, psicanalista da Soc. de Psicanálise de Brasilia e membro da FEBRAPSI-IPA-London.

4 comentários:

  1. "Aquele que perdemos se mantém vivo dentro de nós." acho que essa é a maior homenagem que podemos fazer para aqueles que amamos e que se foram ates de nós... perpetuar a melancolia, somente nos faz morrer um pouquinho a cada dia, fazendo morrer junto conosco aqueles que amamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é isso ai eles fizeram parte das nossas vidas, não estão presentes fisicamente, mais vivos mais do que nunca nas entranhas...

      Excluir
  2. Pois é, minha querida amiga, sabemos que viver o luto é necessário, mas superá-lo e prosseguir em nossa caminhada não é tarefa fácil, é preciso buscar força em nosso interior para aprender a conviver com a perda dos nossos entes queridos, ter humildade para aceitar a dor indescritível da separação e o vazio imenso deixado pela ausência física dos nossos amores. Que Deus nos ajude sempre a enfrentar nossas provas e sofrimentos com resignação e sabedoria. A fé faz toda a diferença!
    A saudade é a pior dor do mundo, mas a esperança do reencontro é o melhor remédio, precisamos manter sempre viva essa chama em nossos corações!
    E vamos seguir em frente, com coragem! Nossos queridos anjos continuam vivos, só que em outra dimensão e estão bem junto de nós.
    Beijos, amiga. muita luz nos seus dias!

    ResponderExcluir
  3. Oi prima
    Os textos publicados no teu blog são sempre muito bons, de autores qualificados que certamente ajudam as pessoas enlutadas a seguir em frente, continuar vivendo mesmo após a perda de entes queridos.
    Que o Divino Espírito Santo continue iluminando você e todos da tua equipe neste trabalho tão gratificante.
    Abraços
    Ligia

    ResponderExcluir