Seguidores

sábado, 12 de maio de 2012

Mães




Ser mãe é uma confusão. Uma mistura tão intensa de sensações e sentimentos. Ser mãe é uma caixinha de surpresas. 

Ser mãe é viver um dia de cada vez, uma fralda de cada vez, uma mamada, uma soneca, manha, beicinho. Tudo de cada vez.
Ser mãe é saber que é hora de quê sem olhar no relógio. É não ver o dia passar. 
Ser mãe é se encher de orgulho quando falam da sua cria. Pode ser um simples “Nossa! Que grandão!”
Ser mãe é ser assim. Ser forte sem ter noção da força.
É escolher com o quê ter paciência. É descobrir uma nova mulher em si a cada dia.
É não se importar com o resto do mundo, mas chorar ao pensar em que mundo seu filho vai crescer.
Ser mãe é não pensar tanto no futuro. É todo dia lutar pra ver seu filho feliz.
Ser mãe, aliás, é achar que um dia ele é a sua cara, mas no outro de seu só tem o pé.
Ser mãe é achar tudo lindo, tudo engraçado, tudo novo. É estar atenta as descobertas sem interferir muito. É aplaudir o acerto e ser firme no erro.
Ser mãe é não ter sono. Ou ter e fingir que ele não existe.
É deixar de lado a vaidade, mas se achar linda com olheiras e tudo.
Ser mãe, para a maioria, é esquecer que existe estria, celulite, peito caído, salto alto, bijuteria.
Ser mãe é ser polvo. É ter quantos braços forem necessários para carregar o carrinho, a bolsa, a chupeta, o paninho, o brinquedo e o filho. Ufa...
Ser mãe é procurar selo do Inmetro, peça pequena, peça grande, estímulo.
Ser mãe é conseguir. Conseguir amamentar, trabalhar, deixar na escola, deixar crescer.
É conseguir entender o choro e deixar chorar.
Ser mãe é ficar parada na beira do berço namorando aquele serzinho que dorme gostoso. 
Ser mãe é aguentar o tranco.
É sentir dor nas costas, nas pernas, nos braços. E não sentir mais nada quando um sorriso se abre, quando um choro pára.
Ser mãe é discutir com o pediatra, é questionar o medicamento, é acreditar nas dicas da avó.
Ser mãe é ter e ouvir os instintos. É ser leoa, ave de rapina. É ser desconfiada como a raposa e ágil como a lebre.
Ser mãe é ser filha também. É mais aprender do que ensinar e mais ensinar do que aprender.
Ser mãe é conviver. É deixar que convivam. É aproveitar cada fase do filho e de ser mãe.
É cortar as asas e é deixar que voe.
É correr pro abraço, esquecer o cansaço. E fazer tudo ao mesmo tempo.
É ter o coração quente, os olhos cheios de lágrimas, os braços cheios de força e a cabeça cheia de preocupações.
Ser mãe é ter sempre um filho a mais: o marido.
É entender o começo de tudo. É procurar explicações bem no fundo.
É suspirar. É concordar discordando.
É, desde o exame positivo, nunca mais estar sozinha, e mesmo sozinha, ter em quem pensar. É estar perto mesmo longe.
Ser mãe é seguir em frente não deixar que o tempo pare e é achar que passa rápido demais.
Ser mãe é continuar mãe, mesmo, que o que dê sentido a ela, não mais a acompanhe.
Ser mãe é ser mãe.

3 comentários:

  1. Zelinda querida,
    Que doce homenagem!
    Amei o texto e me emocionei muito! Lindas palavras... plenas de verdades!
    Ser mãe é tudo isso mesmo! Mães são assim, doam e se doam completamente.
    Mãe, é amor incondicional! A mais sublime criação de Deus!
    Espero que seu Dia das Mães tenha sido abençoado e feliz, repleto de paz e amor. Também acredito amiga, que nossos anjos estavam presentes e compartilhando com vocês desse momento de união da família. Eu, passei curtindo muito o meu querido filho Thiago, desde sábado ele veio ficar comigo, domingo passeamos o dia todo, só eu e ele, aproveitei o máximo sua companhia, seu amor e seu carinho foi o meu melhor presente. Estava feliz, porém dividida, confesso que por dentro eu estava chorando, e somente ao voltar para casa, então sozinha, é que pude conversar com a minha Thais, agradeci muito à minha querida filha por todos os momentos que vivemos juntas, e derramei as minhas lágrimas de saudade. Essa dor é eterna, mas precisamos continuar.
    Que Deus abençoe a todas nós, mães! E que Ele proteja e cuide de nossos filhos que estão no Céu e dos que ainda permanecem aqui conosco.
    Um beijo e o meu imenso carinho.

    ResponderExcluir
  2. Ilca querida,
    obrigada pelo carinho que sempre demonstra aqui.
    estimamos muito suas palavras aqui no blog.
    um abraço imenso

    ResponderExcluir
  3. Olá Zelinda, grata pela sua passagem pelo meu blog e por suas palavras. A você também Verônica, seu texto para o "Dia das Mães" realmente expressa tudo o que somos e o que fazemos em todos os nossos dias de "Mães". Grande beijo a vocês.

    ResponderExcluir