Seguidores

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Aceitar...




Eu tive que aceitar, que meu corpo
nunca fora imortal, que ele envelhecerá
e um dia se acabará.
Eu tive que aceitar, que eu viera ao mundo, para fazer algo por ele, para tentar dar-lhe o melhor de mim, deixar rastros positivos de minha passagem e, em dado momento partir...
Eu tive que aceitar que meus pais não durariam para sempre, e que meus filhos pouco a pouco escolheriam seus caminhos e  prosseguiriam  sua caminhada sem mim. Eu tive que aceitar que eles não eram meus como supunha e que a liberdade de ir e vir é um direito deles também.
Eu tive que aceitar que todos os meus bens foram me confiados por empréstimo, que não me pertenciam e que eram tão fugazes quanto fugaz era a minha própria existência na TERRA. Eu tive que aceitar que os bens ficariam para uso de outras pessoas quando eu já não estiver por aqui.
Eu tive que aceitar que varrer minha calçada todos os dias não me dava nenhuma garantia de que ela era propriedade minha e que varrê-la com tanta constância era apenas um fútil alimento de que eu dava à minha ilusão de posse.
Eu tive que aceitar que o que eu chamava de “minha casa”
era só um teto temporário, que dia a mais dia menos,
 seria o abrigo terreno de outra família.
Eu tive que aceitar que o meu apego às coisas
 só apressaria ainda mais a  minha despedida
 e a minha partida.
Eu tive que aceitar que meus animais de estimação,
a árvore que eu plantei, minhas flores e minhas aves eram mortais. eles não me pertenciam!
Foi difícil, mas eu tive que  aceitar.
Eu tive que aceitar as minhas fragilidades os meus limites, a minha condição de ser mortal, de ser atingível, de ser perecível.
Eu tive que aceitar que a VIDA sempre continuaria
 com ou sem mim, e que o mundo
em pouco tempo me esqueceria

Eu me rendi e aceitei que eu tinha que aceitar.
Aceitei para deixar de sofrer, para lançar fora o meu orgulho,
a minha prepotência e para voltar à simplicidade da Natureza, que trata a todos da mesma maneira, sem favoritismo
Humildemente eu ti confesso
que foi preciso eu fazer cessar umas
guerras dentro de mim..

Humildemente eu ti confesso
que foi preciso eu fazer cessar umas
guerras dentro de mim.

Eu tive que me desarmar e abrir meus braços
para receber e aceitar a minha tão sonhada Paz!


Texto- Silvia Schmidt

5 comentários:

  1. Por que tinha que ser assim. Deus levou o meu tesouro para longe de mim. Sei que tenho que continuar mas é dificil. Me indentifiquei com o texto quero um caminho.
    Saudades Tristezas? Estas eu tenho Estas não me faltam. Com elas canto e façó prosas com cheiro de rosas e se tornam mais minha do que antes ja que insistem em me acompanhar. Continuo ausente de mim sem voc6e minha irmã amada.Te amo Maria da Penha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria da Penha..
      Obrigada pela visita e pelo comentário, essas emoções e todos esses sentimentos ao mesmo tempo fazem partem do teu luto.
      Querida viva somente o hoje não sofra pelo amanhã o amanhã é outro dia.
      Imagino a falta que está sentindo podes crer ela está mais perto de vc do que imagina.
      Lembre dos momentos felizes que passaram juntas vai te fazer muito bem.
      Me mande teu e-mail para ficamos mais juntas.
      Com carinho.

      Excluir
  2. Amo Maria e sinto falta dela. Choro sim. Não pesam para parar de chorar. Quem sente esta dor louca sou eu. So espero que seja verdade que um dia eu vou encontrá-la. TE AMO MINHA IRMÃ AMADA

    ResponderExcluir
  3. Olá minha querida Zelinda!
    Belo texto! Palavras iluminadas! A verdade é que estamos aqui só de passagem, e temos que entender e aceitar com serenidade e resignação as grandes mudanças que a vida nos apresenta. Devemos aproveitar cada minuto do nosso "percurso" durante nossa existência terrena, para aprender. Precisamos saber dar valor ao que realmente importa, crescer, evoluir, e amar mais todos os que nos rodeiam, amar as pessoas do jeito que elas são. O amor é a base de tudo!
    Grande lição para cada um de nós. Aceitar é exercitar a fé, para obter o alívio e consolo para as nossas dores.
    Que Deus nos ilumine sempre. Muita paz a todos!

    Amiga, está lindo o novo visual do blog! Adorei!
    Um abraço apertado e obrigada pelo afeto de sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi minha amiga querida..
      Escolhi esse novo visual com muito carinho, quero que as pessoas imaginem nós caminhando por ele ao encontro dos nossos amores é
      lindo demais.........
      Obrigada pelas palavras de carinho, vc é muito especial na minha vida.Com carinho...

      Excluir