Seguidores

domingo, 20 de janeiro de 2013

Saudade...



Saudade é o que vamos sentir quando deixarmos esta casa e esta cidade. Saudade é a vontade do coração enxergar o que os olhos não vêem. Mas quero te mostrar o lado bom disso. Saudade, ao contrário do que muitos vão te dizer, não é sentimento triste. Ele pode ser alegre. Só sente saudades quem tem coisa boa para recordar. Nós temos. A saudade não subtrai, ela acrescenta ao presente flashes de momentos felizes que julgávamos passados. Saudade não é perda. É ganho quando preenche com emoções as horas vazias de brincadeira e sorrisos. Saudade não é um nada batendo dentro do peito. É uma máquina de projetar cenas na tela do nosso pensamento. O difícil da saudade é que ela não encontra remédio no futuro. Saudade é como televisão. Chega uma hora que é bom a gente se desligar dela para fazer outra coisa.
Isabel Clemente é editora de ÉPOCA no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário