Seguidores

sexta-feira, 15 de março de 2013

Terapia do luto ajuda a superar a morte


Foto: Dreamstime

A terapia do luto é uma boa alternativa para superar a morte de uma pessoa querida. Descubra melhor como ela funciona e veja como seguir em frente

Reportagem: Roberta Cerasoli - Edição: MdeMulher


Cada um tem a sua maneira de encontrar um alívio para a dor

A morte de alguém querido é como uma ferida. No início sangra, arde, dói de maneira quase insuportável. Com o tempo, vai fechando. O processo para curar essa ferida é longo e doloroso. Cissa Guimarães, por exemplo, recorreu à ajuda da terapia do luto após a morte de seu filho Rafael, de 18 anos, atropelado em um túnel no Rio de Janeiro, no ano passado. "Não é um dia após o outro, e sim um minuto após o outro", contou ela.

A terapia do luto ajuda quem sofre essa perda a buscar dentro de si o que ainda dá sentido à sua vida, para reconstruí-la. "Procura-se enfatizar que o sofrimento é único e que ninguém o sentirá da mesma maneira. Cada um manifesta sua dor de um jeito para encontrar um alívio", explica Adriana Thomaz, psicóloga que deu apoio para Cissa. "Com ela [Adriana], entendi melhor a morte, como fazer a conexão com o amor do meu filho e reaprender a viver", revelou Cissa Guimarães em entrevista ao site 
UOL.

Parar a vida por causa de tanto sofrimento pode destruir até a saúde de uma pessoa. Para sair dessa é preciso lutar. "A qualquer tempo pode-se procurar ajuda especializada. Acredito que a terapia do luto se iniciada logo após a morte, tem muitos benefícios, não pela 'terapia' em si, mas pelo aconselhamento. O tratamento consiste nesse reaprendizado, descobrindo e reconhecendo a maneira particular de aquela pessoa viver seu luto e encontrar suas próprias ferramentas para aliviar a sua dor", completa Adriana.


Fases do luto

1. Entorpecimento
É preciso aceitar a realidade da morte.

2. Busca e saudade
Viver a dor tentando entender o que está passando.

3. Desorganização e desespero
"É a fase mais difícil, quando 'cai a ficha'. A terapia do luto iniciada no início do processo ajuda a dar ferramentas de suporte para esses momentos mais difíceis, como a elaboração de uma forte rede de apoio, ajuda espiritual (não necessariamente religiosa) e a busca do sentido da vida", explica Adriana Thomaz.

4. Reorganização e aceitação
É a hora de se adaptar ao meio em que vive no qual o falecido não está mais. Fazer a redistribuição dos papéis por ele desempenhados e tirar a sua energia emocional dessa relação com a morte dele.


As perguntas mais frequentes

O que fazer com o quarto e pertences de um filho (desmanchar tudo fará a dor diminuir mais depressa)?
Não. Desmanchar tudo não fará a dor diminuir depressa. Quem deve decidir quando e como desmanchar o quarto daquele filho são os pais. Não há regra. O aconselhamento é que esses pais conversem muito. Se há dúvida, é importante esperar até o momento certo. O quarto pode ficar montado por um tempo, de 3 a 6 meses.

Quanto tempo leva para que as coisas voltem ao "normal"?
As coisas nunca voltarão ao normal, se você acha que isso significa ser tudo igual ao que era antes. A pessoa não voltará mais e é preciso se acostumar com essa ausência nos ambientes que vocês costumavam dividir. Se o normal, para você, é a rotina, isso depende muito de cada um que está de luto. Mas, geralmente, em seis meses já se começa a encontrar mais "normalidade".

O que fazer nas datas comemorativas?
Adriana afirma que os rituais são extremamente importantes, sobretudo nas datas comemorativas. Podem ser religiosos ou não. Mas devem fazer sentido para quem ficou. Por exemplo, se a pessoa que morreu gostava de fazer festas de aniversário, reunir seus amigos no dia pode ser uma boa, se isso fizer bem para você.
Como apoiar quem está sofrendo
A revolta também é um sentimento normal para quem está de luto. "Nada consola. O que se deve fazer é oferecer acolhimento e apoio", diz Adriana. Quem quer ajudar deve manter os braços abertos para que a pessoa manifeste qualquer tipo de sofrimento, sem conselhos, críticas ou cobranças. "A primeira coisa é garantir ao enlutado que a dor da perda é para sempre, sim, mas a intensidade da dor, a característica do sofrimento, deve mudar", assegura Adriana.

· Frases que podem atrapalhar: 

"Seja forte." "Não chore, seu filho não ia querer te ver triste." "O tempo cura tudo." "Confio na sua força."

fonte: site da revista Ana Maria

16 comentários:

  1. Bom Dia Zelinda...

    Esse é um tema bem complicado mesmo,tomo por mim.Diziam os mais chegados que eu deveria procurar ajuda então achei que me sentia forte o suficiente pra enfrentar as barreiras que viriam e assim foi.
    Quando me perguntavam sobre medicamentos eu logo respondia...não tomo.
    Consegui me segurar por muitas vezes,até porque meu caçula precisava mais de mim do que eu mesma.Por ele fui rocha e acreditava que estava melhorando afinal eu estava viva e "parecia",que eu ultrapassava meus próprios limites.Conversava e tinha companhia(algumas)...
    Mas não foi suficiente e mesmo eu dando força pra mim mesma,mesmo acreditando estar suportando hoje vejo que faltou algo e muita coisa ficou atravessada na minha garganta.Algumas eu tento resolver mas outras ficaram no tempo,esse que não tem como reverter.
    Percebo que estou caindo e não tenho mais estrutura pra tamanha dor,simplesmente estou no fim e não sei o que será do meu amanhã.Tenho medo de mim e dos pensamentos que me acompanham e afirmo que deveria ter procurado ajuda já no começo.Estou tentando me reerguer mas tá difícil.Peço que ore por mim pra que eu consiga passar essa fase que chegou pra me vencer...O MEDO DO AMANHÃ.!
    UM ENORME ABRAÇO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,amiga...
      Todos esses sentimentos,conflitos e muitas emoções, são sentimentos, que nos acompanham por um longo tempo, achamos que não teremos forças para continuar, mas tem um Pai lá em cima que nos momentos de maior dor ele nos carrega no colo, ou nos manda recadinhos, dos nossos queridos,como sonhos, perfume, uma brisa suave na nossa face, são eles dizendo, estou aqui estou com vcs e o nosso reencontro vai ser por toda a eternidade, força amiga vc é especial olhe para os lados e veja quantas pessoas precisam de vc e que te amam muito, não vale a pena olhar para baixo isso só vai piorar e fazer muito mal para nós mesma.
      Olhe para cima e sinta a energia e muita luz para a tua caminhada aqui....
      A nossa amiga Josil, está feliz com o reencontro de seu filho Luiz Felipe,faz 19 anos que partiu com 14 anos.
      Amiga estou rezando, tenho um enorme carinho por vc bjs...

      Excluir
  2. Oi querida Zelinda,
    Pois é, amiga... esse texto diz tudo! É assim mesmo, passamos por todas essas fases, quando perdemos um ser amado. E cada um busca a melhor maneira para poder superar e aliviar sua grande dor. Eu, particularmente, confesso que não é fácil e quanto a terapia com Psicólogos, para mim não resolveu. Procurei ajuda de um profissional em 2012, que foi o ano mais difícil pra mim, a minha pior fase, pois foi somente depois de um ano e sete meses sem a minha amada filha, que começou "cair a ficha", por incrível que pareça, e acho que ainda não caiu totalmente porque por momentos, não consigo acreditar que isso esteja acontecendo comigo. Em pouco tempo passei por três psicólogos, não gostava de um, procurava outro, e assim foi até que desisti, pois não obtive nenhum resultado favorável, como nada mudava, não tive paciência nem persistência. Mas, espero que ninguém faça como eu, é importante persistir. Acredito que, o que realmente tem me ajudado é a minha força de vontade e são os trabalhos voluntários que faço desde que a minha Thais partiu. Aliás eu já comentei isso aqui antes, faço visitas à asilos e hospitais levando uma palavra de esperança, amor, um abraço e, sobretudo, o ouvido para escutar os desabafos, isso faço sem nenhum vínculo com instituições. No entanto, em outubro do ano passado fiz um curso de voluntariado no CVV - onde há cinco meses sou uma voluntária dessa Associação, atendimento de apoio emocional por telefone; é maravilhoso esse trabalho e tenho certeza, que isso tem sido uma ferramenta muito valiosa para mim, uma ótima terapia, pois poder dar à alguém um apoio que eu também tanto preciso neste momento, é muito gratificante, me faz um bem enorme. Na verdade, é uma troca, um apoio mútuo, e com toda a certeza sou a maior beneficiada. Faço os meus plantões sempre à noite, principalmente aos sábados, estou adorando! Além disso, gosto de viajar fazer turismo, seguidamente faço passeios por um dia aqui na minha região; e viajo sempre sozinha, com grupo de pessoas que não conheço, pois não tenho mais a minha companheira de viagem (minha querida filha), é difícil, mas enfrento, embora muitas vezes, eu chegue em casa chorando de tanta saudade, e só vou à lugares que nunca fui com ela. Também participo de alguns eventos, mas nada de festas. Assim, vou tocando minha vida, procuro me ocupar ao máximo, me esforço para não ficar chorando em casa e procuro não ser má companhia para ninguém, nem mesmo para o meu filho amado, que me faz tão feliz; meu Thiago tem 28 anos, está casado, mas sempre que é possível tenho sua companhia para viajar. Portanto, minha amiga, hoje deixo aqui neste meu relato tudo o que tenho feito para continuar, apesar da minha profunda dor. Oro muito e como você sabe, tenho muita fé em Deus e na minha força interior, por isso mais agradeço à Ele do que peço; por fim, quero dizer, que amo o próximo como a mim mesma, e eu me amo muito, falo todos os dias "hoje estou ótima", se não estou, fico. Bom, espero que eu tenha conseguido transmitir a todos que passam pelo momento difícil do luto, algo positivo, desta experiência extremamente dolorosa que estou vivendo. Muita força a todos nós. Que Deus nos ampare sempre!
    Obrigada por esta oportunidade, minha amiga. E me desculpe por tão extensa no meu comentário.
    Gostei muito da postagem. Como sempre uma excelente escolha!
    Tenha uma semana iluminada e feliz!
    Grande beijo. Te amo!

    ResponderExcluir
  3. Amiga, corrigindo o meu comentário...
    Me desculpe por "ser" tão extensa no meu comentário.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ilca…
      Somente hoje li o teu comentário e o teu testemunho de como está sobrevivendo o importante que vc está olhando para os lados e seguindo o teu caminho vivendo só o hoje.
      Eu sempre comento no grupo cada um encontra dentro, de si mesma a solução para o seu problema, esse trabalho, essas fugidas com pessoas que não te conhece essa ajuda e apoio para ,os necessitados, está sendo a tua terapia para o corpo mente e alma.
      Quando fazemos esse trabalho pensamos que estamos ajudando os outros mais a verdade verdadeira que a maior ajuda é para nos mesmo.
      Muitas mães deveriam se espelhar neste teu exemplo de caminhada apesar de tanta dor e saudades ainda consegue dar uma esperança e um caminho de luz e mostrar que nem tudo esta perdido, vamos continuar sendo esses ELOS de uma corrente bem soldados para que nada e ninguém, possa nos arrebentar.
      Obrigada adorei o que vc escreveu...bjs.

      Excluir
  4. Oi amiga, hoje estou novamente por aqui para agradecer seu carinhoso comentário. Vc sabe o quanto me deixa feliz sua presença em meu blog. Desculpe, ontem exagerei escrevendo e já era tão tarde, estava caindo de sono. Mas, quero dizer que gostei de saber que ontem a sua reunião foi especial e cheia de boas energias. Que bom que todos gostaram, com certeza foi uma tarde linda e abençoada com muito amor, que emana do seu coração!
    Que Deus lhe abençoe sempre nesse trabalho maravilhoso!
    Estamos juntas, tentando fazer o melhor para o nosso próximo. Que tenhamos forças para continuar.
    Um beijo enorme desta amiga que te admira muito.

    ResponderExcluir
  5. Oi minha amiga, eu é que agradeço pelas palavras de incentivo e apoio
    que me impulsionam a seguir em frente.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. OLa obrigada por ter um blog tão lindo... onde encontrar essas terapia do luto? gostei muito de suas palavras... obrigada""
    http://cristinachequetto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristina, obrigada pelas palavras e por ter conhecido o blog e deixar o seu comentário.
      Vc perguntou onde encontrar essas terapias do Luto.
      Graças a Deus hoje tem profissionais, Terapeutas e Psicólogos que estão bem preparados para ajudar essas pessoas.
      Temos muitos livros sobre o Assunto a Adriana Thomaz, Rodrigo Luz e Dr. Evaldo D'Assumpção são profissionais, serios que posso recomendar entre no site deles que tera todas as informações.
      Qualquer coisa entre no meu e-mail que podemos conversar melhor:
      zelindadebona@hotmail.com

      Excluir
  7. Boa tarde eu me chamo Tayana , no ano de 2007 perdi minhã irmã gêmea... Hoje se passaram oito anos e ainda sofro muito,muito... Só eu e Deus sabe! Minha irmã desapareceu no dia 13/01/2007. Durante muitos anos esperei o telefone tocar, uma mensagem ou apenas encontra-la... Com isso quase enlouqueci só eu sei o quanto lutei e ainda luto para que isso não aconteça! perdi minha companheira, alguém que sabia que podia confiar de olhos fechados,perdi minha companheira de risos e fofocas de madrugada, perdi quem eu pensei em ser madrinha de seu casamento e de seus filhos.. filhos quantos ela teria? um ou dois? Como saber... Destino? Será que existe? O que é certo que nossa vida percorre caminhos tortuosos! Porque logo minha irmã Dayana? Ela sempre amou viver , tinha um, sorriso lindo... não me conformo! Mas eu sabia que em algum momento eu teria que sentar ao lado da minha dor ,pois se não tudo se acabaria... Então resolvi me despedir da minha irmã baixinho em segredo aqui dentro, confesso que me doeu muito mais era preciso!
    " Obrigada antes de tudo por ter estado ao seu lado durante 20 anos de nossas vidas,obrigada por cada gargalhada,por cada aniversário, natal, ano novo... pois o ultimo que passei ao seu lado você me fez comer sete uvas e pular sete ondas , dizia que era para ter sorte será? Pois treze dias depois você se foi... Aqui te guardo, te abraço, te amo, aqui dentro do meu coração! é tudo inacreditavel, não me canso de perguntar porque? Sinceramente ainda não tive essa resposta! Como fazer quando olho para o lado e percebo que estou só? Eu sempre fui sua sombra , sempre era você para tudo e hoje tive que aprender a seguir com um sorriso no rosto mesmo carregando essa dor. As vezes tenho vontade de sair gritando é um desespero tão grande... Alguém me disse que preciso estar bem estar em paz , para você seguir em paz... Vá com Deus , que os anjos te recebam de braços abertos eu jamais vou esquecer de você , jamais... fique em paz ,que Deus esteja segurando suas mãos! Eu te amo e vou te amar por toda minha vida....

    ResponderExcluir
  8. Ola, hoje dia 09/01/2016 fazem 2 anos que perdi minha amada irmã , sempre fomos muito ligadas , confidentes, parceiras em tudo , fui madrinha de casamento e de um dos filhos dela o Fernando hoje com 29 anos, embora mais velha que ela , era sempre ela a frente de tudo . Uma mulher linda , saudavel e que de repente foi diagnostica com um cancer, do dia do diagnostico até a partida foram 6 meses.
    Esse Natal e Ano Novo foi o primeiro sem ela. Quando ela partiu eu estava ao lado dela de maos dadas e não pude fazer nada , me senti tão impotente e insignificante , os filhos não estavam presente , o marido nem ao menos se levantou da cadeira em que estava sentado no canto do quarto, minha filha estava de um lado e eu do outro lado, meu filho foi quem ajudou a prepara la e vesti la.No velorio ele nem se aproximou do caixão, foi o enterro e o que ele fez foi empacotar as roupas dela, meu corção doi so de me lembrar e 2 dias meus sobrinhos estavam em uma balada. Sofro a ausencia dela, sofro por ver o descaso dos filhos em relação a uma perda desse porte, sofro de ver minha mãe em depressão pela perda e tem 82 anos, sofro por minha mãe precisar ser importante para eles e eles não se importar, sabendo que a minha irmã vivia em função da nossa mãe.Enfim sei que cada um sente a dor de uma forma , mas ser indiferente em uma familia unida doi muito.Pedi pra rezar uma missa por conta dos 2 anos , os filhos foram para praia, e minha mãe ficou muito triste.
    Como podemos seguir em paz, sem chorar a perda se o vazio é imenso?
    Desejei por muitas vezes trocar de lugar com ela , mas é impossivel, acredito em Deus e minha fé é imensa e isso que tem me sustentado.

    Agradeço a Deus todos os dias e momentos pelos 53 anos vividos em plena harmonia e cumplicidade com ela...Amo ate o infinito

    ResponderExcluir
  9. Por favor, estou completamente perdida preciso de ajuda. Minha filha foi assassinada pelo ex namorado,ele invadiu a casa e a estrangulou,não sei mas o que fazer da minha vida. Tenho mais duas filhas, mas não consigo ajudá las.Me perdoem, preciso aprender a sobreviver. luciene.gestaocomercial@gmail.com 959131040 watz.

    ResponderExcluir
  10. A enterrei no dia das mães, a poucos dias.

    ResponderExcluir
  11. A enterrei no dia das mães, a poucos dias.

    ResponderExcluir
  12. Por favor, estou completamente perdida preciso de ajuda. Minha filha foi assassinada pelo ex namorado,ele invadiu a casa e a estrangulou,não sei mas o que fazer da minha vida. Tenho mais duas filhas, mas não consigo ajudá las.Me perdoem, preciso aprender a sobreviver. luciene.gestaocomercial@gmail.com 959131040 watz.

    ResponderExcluir