Seguidores

quarta-feira, 4 de maio de 2011



RETRATO DE MÃE

Mãe.
Uma simples mulher que existe,
pela imensidão do seu amor,
tem um pouco de Deus,
e muito de anjo;
Mulher que pela incansável solicitude de seus cuidados,
ainda jovem, tem a tranquila sabedoria de anciã,
e, na velhice, age com o admirável vigor da juventude.
Mulher que sendo pobre,
tem como recompensa a felicidade dos que ama,
e quando, rica, daria todo os seus tesouros
para não sofrer no coração a dor da ingratidão.
Mulher que sendo forte, estremece ao gemido de uma
criança, e sendo frágil, consegue reagir
com a bravura de um leão.

Mulher que quando, viva, não sabemos lhe dar o valor
porque à seu lado, todas as dores se apagam.

Entretanto quando morta, daríamos tudo o que somos 
e tudo o que temos para vê-la de novo,
e por um só momento receber dela um só afago, 
e ouvir de seus lábios, uma só palavra.




Um comentário:

  1. Mamãe, eu nunca me senti tão filha como na minha orfandade, hoje e todos os dias tenho uma vontade imensa de te abraçar.
    Costumo sempre dizer que vc não corta o cordão umbilical quando vc nasce mais sim quando elas falecem, perdemos a maior amiga a pessoa que mais te ama,que te aceita com todas as qualidades e te perdoa com todos os teus defeitos.
    O que nos fortalece e que carregamos dentro das nossas entranhas um pedaçinho delas.
    Uma célula que vai perpetuar por muitas gerações.
    Peço a sua Bênção sua filha Zelinda.

    ResponderExcluir