Seguidores

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

VELHAS ARVORES




Olha estas velhas árvores, — mais belas,

Do que as árvores mais moças, mais amigas,

Tanto mais belas quanto mais antigas,

Vencedoras da idade e das procelas . . .

O homem, a fera e o inseto à sombra delas

Vivem livres de fomes e fadigas;

E em seus galhos abrigam-se as cantigas

E alegria das aves tagarelas . . .

Não choremos jamais a mocidade!

Envelheçamos rindo! envelheçamos

Como as árvores fortes envelhecem,

Na glória da alegria e da bondade

Agasalhando os pássaros nos ramos,

Dando sombra e consolo aos que padecem!


OLAVO BILAC

Um comentário:

  1. Olá, Zelinda! Desculpe o sumiço, mas tive problemas com a internet e fiquei sem acessar quase uma semana, mas acho que agora está voltando ao normal. Vou tentar responder todos os seus e-mails o mais rápido possível. Senti muitas saudades daqui, vocês fazem muita falta na minha vida, muito mais do que possam imaginar!
    O texto sobre as árvores é lindo, realmente não se deve temer a "velhice", pois ela traz muita sabedoria e serenidade.
    Beijos, e fique com Deus!!!

    ResponderExcluir