Seguidores

quinta-feira, 4 de agosto de 2011



Esse texto pertence a Jadecir, querido amigo de Zelinda que escreve PARTILHANÇA, PARTILHA NA
ESPERANÇA...

Crer apesar de...
Esperar apesar de...
Há muita gente que afirma ter fé mas que no momento da dor e do sofrimento se desespera e se revolta contra DEUS.
Pode alguém que afirma ter fé, que diz acreditar em DEUS, duvidar ou questionar sobre as avalanches que sobrevêm em determinados momentos de suas vidas?
Conheci pessoas que, literalmente, brigavam com DEUS. Reclamavam, esperneavam, gritavam, e até, em algumas situações blasfemavam...

Sabemos que isso remonta às primeiras experiências humanas em relação à pessoa de DEUS. Quando Moisés, conduzia o povo a caminho do libertação, pois era escravo e oprimido sob o jugo do Faraó do Egito, não poucas vezes esbravejaram, murmuravam, queriam desistir e voltar...
Então, o que acontece hoje não difere muito dos tempo idos...

Crentes ou descrentes, todos estamos num mesmo mundo, vivendo e correndo os mesmos riscos, propensos às mesmas vicissitudes promovidas pelas ações humanas, boas ou más... Isso sem contar que estamos à mercê das intempéries da natureza: chuvas excessivas, furacões, vendavais, tempestades, terremotos, acidentes de diversas origens, catástrofes, fatalidades, etc...
Ninguém, absolutamente ninguém, está isento de nada...
O que muda é a compreensão daquele que tem o critério da fé como fator determinante, daquilo que dá o fundamento da vida, da percepção de que aqui tudo é transitório, efêmero e finito.

Para nós que temos ou dizemos ter fé, também não é fácil compreender, no entanto cremos e confiamos. Para quem no crê ou tem uma fé lânguida, frágil, que oscila de acordo com o vento, é muito mais difícil...
No entanto, pode parecer paradoxo mas não é: DEUS TEM O CONTROLE DE TUDO, e não está dormindo ou alheio às nossas dores e sofrimentos, independentemente da origem deles...
ELE não estava distante nem ausente quando seu FILHO, pregado numa cruz, dizia: “Meu DEUS, meu DEUS por que me desamparaste?”
Ele não se fez indiferente quando Pedro foi crucificado, Paulo foi decapitado e tantos outros milhares deram a vida como mártires, naquele tempo do início da era cristã como ainda hoje em diversos lugares, até aqui mesmo no Brasil...

Isso me lembra de uma mensagem que recebi via e-mail há algum tempo atrás, em que dizia que uma embarcação com diversas pessoas a bordo saiu para uma excursão. Num determinado momento da viagem, em alto mar, sobreveio uma tempestade. Todos estavam atemorizados, amedrontados, pois a qualquer momento o barco poderia ir à deriva e naufragarem todos. Contudo, uma criança brincava no centro da embarcação. Alguém, voltando-se para o garoto, disse: “Hei, você não está com medo?”. Ao que o menino respondeu: “Não, é meu pai que está no comando!...”

É isso. Aconteça o que acontecer, DEUS esteve, está e estará sempre no comando. Então, coloquemo-nos debaixo de sua vontade e permitamos que ELE conduza a nossa vida. Venha o que vier, aconteça o que acontecer.
Por isso, peçamos sempre que o SENHOR aumente a nossa fé, e quem nos ensinou isso foi o próprio JESUS...

2 comentários:

  1. Com certeza Deus sabe de todas as coisas, e nada que nos acontece é por acaso. Mas confesso que eu mesma já briguei com Deus várias vezes por ter permitido que meu filho partisse, por achar que o que acontece com algumas pessoas é injusto, por pensar que o mundo é muito desigual, onde algumas pessoas sofrem muito e outras sofrem menos. Já questionei inclusive a existência de Deus. Mas sei que estava enganada e espero conseguir cumprir a vontade de Deus, pois Ele sabe o que é melhor pra nós mesmo que neste momento pareça absurdo tudo o que nos acontece.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Zelinda
    Concordo com o Jadecir, mas não podemos negar que o sofrimento da perda de um ente querido é IMENSA, porisso, sempre peço a Deus que conforte os enlutados.
    Abraços
    Ligia

    ResponderExcluir